Lojas em Ruas ou Shoppings: o que traz mais resultado?

Segundo estudo realizado pela consultoria Deloitte e pela Associação Brasileira de Franchising, as franquias de lojas localizadas em ruas faturam e geram mais resultados do que aquelas localizadas em centros comerciais, como shoppings centers.

De acordo com a pesquisa, publicada em portais como UOL e PEGN, as lojas que mais faturam, para 53% dos franqueadores, são as unidades de rua. Já os shoppings reúnem 29% dos PDVs com maiores faturamentos. Centros comerciais e pontos como clubes, academias, condomínios e aeroportos, respondem pelo faturamento de 18% daqueles que responderam a pesquisa.

Levando esses dados em consideração, a seguir fizemos uma análise mais detalhada das lojas de rua versus lojas em centros comerciais. Confira e descubra como aumentar suas vendas!

Loja de rua: o desafio de se tornar conhecido

Aqueles empreendedores que optaram por uma loja de rua precisam buscar meios de torná-la mais conhecida (isso pode demandar parte do faturamento). A divulgação é fator essencial para tornar a loja mais conhecida e, consequentemente, aumentar o fluxo de clientes. Uma comunicação visual efetiva é a melhor opção para quem deseja alcançar melhores resultados.

Para a abertura de uma loja de rua, é importante se preocupar com a questão do estacionamento para os clientes. Muitos adiam ou até mesmo desistem de comprar por não conseguir parar o automóvel nas proximidades do ponto. Assim, o lojista deve criar opções que facilitem o trânsito da região e possibilitem que seu cliente estacione com tranquilidade. É preciso ter cuidado especial também com a segurança. Procure determinar um horário fixo de atendimento e flexibilizá-lo conforme a época do ano, em especial datas comemorativas como Natal e Dia das Mães, por exemplo.

Os donos de empreendimentos localizados nas ruas afirmam que o relacionamento com o cliente é a alma do negócio e é essencial para a fidelização, pois o alcance geográfico deste PDV é menor. Também é sabido que nesta modalidade há uma menor rotatividade de funcionários, além uma equipe mais enxuta, o que favorece o pagamento de salários melhores. Do ponto de vista do cliente, criar vínculos é interessante, pois resulta em um atendimento personalizado.

Loja em shopping: custos versus boa publicidade

A abertura de uma loja em um shopping costuma ser mais custosa. É preciso avaliar se um possível aumento no volume de vendas vai compensar a elevação nas despesas, pois há taxas específicas definidas pelo próprio centro comercial. Ainda há também custos relativos às obras, que em shoppings costumam ser mais dispendiosas, com a necessidade de vários projetos, além de aprovação da administração do centro comercial. O lojista deve avaliar ainda o tempo em que ficará parado em decorrência dessas obras, o que significa pagar os custos fixos de uma locação sem ao menos ter a loja inaugurada.

É importante lembrar que todos esses custos devem ser considerados na hora de definir a precificação. O lojista de shopping necessita agregar valor a seus produtos e serviços e focar em clientes menos suscetíveis à variação de preço. De modo geral, os custos são maiores do que da loja de rua, mas compensa pelo movimento e por reduzir investimentos em publicidade.

Não há certo ou errado em escolher entre shopping center ou rua para abrir uma loja. A chave para o sucesso é oferecer atendimento de qualidade, promover ações para fidelização do cliente, fazer campanhas promocionais e montar um plano de negócios. É igualmente importante manter o investimento em publicidade para garantir que seu público continue interessado em seus produtos e despertar a curiosidade de novos consumidores.

E então, você concorda conosco? Conte suas opiniões e experiências nos comentários!

Fique por dentro dos nossos conteúdos semanais!
Fique tranquilo, nunca enviaremos spam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *